A fimose infantil é uma condição fisiológica caracterizada pela aderência do prepúcio, que é a pele que recobre a cabeça do pênis, à glande. Isso dificulta ou impossibilita o deslizar dessa “pele” sobre o pênis, o que pode gerar consequências para a saúde.

Apesar de ser comum em recém-nascidos e geralmente regredir com o passar do tempo, há alguns conselhos populares que são passados de geração para geração, como massagear e até mesmo puxar o prepúcio do bebê, mas que nem sempre são os cuidados corretos a serem seguidos.

O que é fimose?

Fimose é um quadro caracterizado pela dificuldade de puxar a pele que recobre a ponta do pênis, chamada de prepúcio, e expor a glande. Isso ocorre devido a um estreitamento da capa do prepúcio e pode ser fisiológico, no caso de bebês, ou adquirido, como em adolescentes e adultos.

Causas

É normal que meninos nasçam com a pele que recobre o pênis grudada na glande, quadro está ligado à formação fetal. Todavia, também pode haver fimose em adolescentes e adultos, mas devido a episódios consecutivos de infecções no tecido do órgão, muitas vezes causadas por falta de higiene.

Fimose em bebê

Todo bebê do sexo masculino nasce com o prepúcio aderido na glande, que vai se descolando conforme a criança vai crescendo. O urologista Daniel Ayres, do Hospital Samaritano, de São Paulo, explica que aproximadamente metade das crianças até 1 ano já tem essa pelinha solta, mas isso pode também ocorrer naturalmente até os 3 anos de idade.

Se essa camada não se soltar após o terceiro ano de vida, é indicado buscar ajuda médica para que seja feito o tratamento adequado.

Atrapalha o crescimento?

O problema não causa nenhuma interferência no crescimento da criança e muito menos no tamanho do pênis.

Pode puxar a pele?

Segundo o especialista, não é indicado puxar a pele do pênis para trás pois isso pode piorar o problema. Massagens para soltar o prepúcio também não são indicadas. “O ideal é lavar o pênis diariamente com água e sabão neutro e sempre trocar as roupas para evitar problemas que podem estreitar ainda mais a passagem da glande”, explica Daniel.

Sintomas e consequências

A impossibilidade ou dificuldade de expor o pênis é o principal sintoma da fimose, que é facilmente diagnosticada por meio do exame clínico. Todavia, algumas complicações podem evidenciar o problema, como dor, inchaço, vermelhidão, inflamação, infecção ou sensibilidade aumentada na glande. Infecção urinária, problemas para urinar e candidíase são outras possíveis consequências.

Já em adultos, a condição ainda pode levar a quadros de DSTs, dor na relação sexual ou na masturbação e infertilidade.

Uma das mais graves complicações é a parafimose, que acontece quando o prepúcio deslizado não volta à posição que recobre o pênis, causando o estrangulamento do órgão. Como é grave, o problema requer atendimento de emergência e geralmente é tratado por cirurgia.

Como tratar a fimose?

Cirurgia

A postectomia é o método de tratamento mais comum. A cirurgia, que também é chamada de circuncisão, consiste na retirada do prepúcio e é realizada principalmente em adultos e em crianças a partir de 3 anos que ainda têm fimose infantil.

Pomada

Uma alternativa para a cirurgia para fimose em bebês é a aplicação de pomadas indicadas pelo médico a fim de propiciar a exposição da glande. Todavia, apenas um profissional especializado saberá indicar o melhor tipo de tratamento para cada caso.

ESCRITO POR
LIGIA LOTÉRIO