O mês de novembro além de ser dedicado aos cuidados e prevenção com o Câncer de Próstata, também é um mês para atenção ao Diabetes, uma doença crônica que se caracteriza pelo aumento dos níveis de glicemia no sangue. A prevalência da doença vem aumentando no decorrer dos anos, devido principalmente à má alimentação e ao  sedentarismo da população, aumentando gradativamente também a taxa de obesidade.

A campanha surgiu para conscientizar as pessoas sobre todos os problemas que vêm associados à doença: O aumento de mortes cardiovasculares (infartos, insuficiência cardíaca), AVC (derrame)disfunção sexual, perda de visão, insuficiência renal, perda de sensibilidade nos membros inferiores, úlceras e até amputação  dos membros.

Sintomas

Os sintomas do diabetes Mellitus (DM) varia de pessoa para pessoa, e podem alterar no decorrer do tempo. Os principais sintomas iniciais são:

  • Tremor
  • Suor
  • Muita sede
  • Muita fome
  • Rápida perda de peso
  • Cansaço inexplicável
  • Visão embaçada
  • Falta de concentração

Quem pode ter diabetes? É hereditário?

A maioria dos portadores de diabetes, tem o tipo 2 da doença. Por ser silenciosa e pouco sintomática, ela pode passar despercebida e favorecer assim complicações conforme o tempo vai passando.

Fatores hereditários também são considerados..Veja algumas condições que favorecem o diagnóstico :

  • Se você tem familiares próximos que tem diabetes
  • Idade maior de 45 anos
  • Excesso de peso ou obesidade
  • Pressão alta
  • Colesterol alto

Quando se preocupar?

O ideal é sempre ter seus exames em dia, pois por se tratar inicialmente de uma doença silenciosa, talvez no dia a dia você não perceba nenhuma alteração.

Tratamento

 O principal no tratamento do diabetes é manter controlado o nível de glicose no sangue, a medição pode  ser feita através de um monitor de glicemia capilar. De início pode parecer difícil, mas com o tempo o controle  se torna mais fácil. É importante seguir as orientações do médico, medir nos horários corretos e saber qual dosagem ideal em que deve estar a glicemia. A alimentação também é um fator que anda junto ao tratamento. Manter uma alimentação saudável é essencial. Evitar o consumo de carboidratos e frutas que podem aumentar a dosagem de glicemia. As porções devem ser pequenas e espaçadas  durante o dia. O acompanhamento com uma nutricionista é o ideal para acompanhar o tratamento.

É a oportunidade de rever seus hábitos diários.

Praticar atividades físicas também ajudam a baixar a taxa da glicemia, sendo assim um grande aliado no tratamento. Não somente para o diabetes, mas a prática de exercícios físicos regularmente ajuda em diversas áreas do nosso dia a dia. O humor, a disposição, o sono, tudo muda, além de evitar doenças cardiovasculares.